Grau II - A asa e a casa (Teatro)

Grau II - A asa e a casa (Teatro)

 

de Teresa Rita Lopes

 
Edição/reimpressão: 2003
Páginas: 46
Editor: Campo das letras
 
Género: Dramático
Grau de dificuldade: II
 

Sinopse

  Esta peça centra-se no encontro entre dois seres aparentemente inconciliáveis: um rapaz bonecreiro, que anda de terra em terra com os seus fantoches a tentar divertir grandes e pequenos, e uma rapariga que vive no campo e vai à praia vender os bolos que faz todas as manhãs. Aí se encontram e se atraem: ele, sempre errante, todo asa, ela, toda raiz, bem agarrada à sua terra e à sua casa. Mas acabam por se conciliar: ela aceita partir com ele, e ser, às vezes, asa e ele aprende o gosto de parar, algum tempo, num sítio - isto é, de ser também um pouco casa.


Se calhar, o importante é ir sempre andando, andando..., como nas estórias da infância, nunca paralisando entre os apelos opostos - só aparentemente... - da asa e da casa. Saber que a casa pode albergar a asa sem a aprisionar (que mais não seja há sempre uma chaminé por onde o seu voo pode abrir caminho!) e que também a asa pode precisar de pousar - de pedir pousada à casa. Teresa Rita Lopes

COTA: 82-2/I LOP